domingo, 9 de setembro de 2007

Meme, cinco livros

Odeio admitir que leio pouco, e costumo usar a desculpa da ansiedade. Agora estudando pro vestibular pra belas artes, estou lendo os livros indicados (a maioria deles são bons). Mas este post é pra falar de cinco livros que me marcaram. Porque ler sempre esteve entre meus hábitos, apesar de tudo. Agradecendo o convite da 'Groselha', foi difícil escolher, mas estes são os livros:

Um Estranho no ninho (Ken Kesey). Dentre os vários livros que herdei da minha bisavó, este foi um dos primeiros que mais gostei. Apesar de ter quatorze ou quinze anos na primeira vez que li, me lembro de não ter desgrudado do livro. Isso fez com que eu também adorasse sua adaptação no cinema, pelas mãos do ótimo diretor Milos Forman (Hair, Amadeus, People vs. Larry Flynt)

Estação Carandiru (Dráuzio Varela). Em visita a casa de um amigo, este foi o único livro de literatura que consegui achar na estante lotada de livros de Direito. Comecei a ler e quando me dei conta estava lá, no Carandiru, junto com o Dr Dráuzio, vivenciando todas aquelas experiências fantásticas e convivendo com pessoas de realidades tão distantes. Muito bem escrito, este livro me fez ter um sentimento de quase cumplicidade junto a todos aqueles condenados. Ótima leitura.

O Retrato de Dorian Gray (Oscar Wilde). Depois de decorar vários aforismos que eu via por aí, comecei a ler o romance de Dorian Gray. Fiquei hipnotizado pela forma transcedental que Oscar Wilde via aquela sociedade da Europa, há quase dois séculos atrás. Lorde Henry é um dos personagens mais interessantes que já conheci. Depois deste, fui ler todas as outras obras deste escritor.

Crime e Castigo (Dostoiévski). Este livro eu só fui ler há uns três anos atrás. Me lembro bastante dele porque um pouco depois de começar a ler, peguei uma gripe daquelas de não conseguir sair da cama, e o resultado foi uma leitura compulsiva. Se me lembro bem em menos de uma semana terminei. Era o primeiro contato com Dostoiévski. Hoje, é um dos meus escritores preferidos.

A Sangue Frio (Truman Capote). Outro que eu "devorei". Desde pequeno já gostava de romances policiais, e o mais incrível deste livro é saber que a história é verídica, e que seu ator se relacionou quase intimamente com os assassinos. Nunca li "Bonequinha de Luxo", mas acho que posso dizer que é o melhor livro do Capote.

Pra dar dar continuidade, convido a Biti e o Teté.
Bom domingo pra todos.

Nenhum comentário: